Ora Então Um Grande Bem Haja ... oprazerdainsolencia@sapo.pt
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2005
katrina
olá, hoje venho falar do furacão katrina, sei que já o podia ter feito à mais tempo mas decidi esperar até saber o número total de mortos que é para não estar a enganar ninguem, acontece que quando falei do tsunami a quente referi que tinham morrido 60 mil gajos e às tantas fui a ver e já tinham morrido alguns 300 mil marmanjos só para me lixarem... agora não, desta vez esperei para ver que é para que ninguem me coma por trouxa, nada disso, senão qualquer dia vou na rua e as pessoas acusam-me de não saber quantos mortos existem nos desastres naturais e eu como é natural não tenho de levar com isso, primeiro porque não sou da cnn, segundo porque não sou meteorologista e terceiro porque não sou grande apreciador de espargos

com isto tudo acabei por não referir quantos foram aqueles que não resistiram ao furacão katrina, foram sete ou oito... sete ou oito membros da al-qaeda não resistiram à euforia e abriram aquela garrafa de moet chandom que estava reservada para o dia em que o sporting conseguisse vencer o nacional na choupana... descobri por outro lado, a título de curiosidade que o treinador do benfica ronald koeman tem o seu quê de terrorista bem como de furacão katrina, se por um lado utiliza as mesmas tácticas suicidas da al-qaeda que encontrou por acaso no site da organização terrorista julgando ser aquilo um clube de futebol futurista do médio oriente, por outro o clube da luz joga tal como um furacão, ou seja, um desastre natural

houve em portugal quem contestasse o nome atribuido ao furacão que devastou nova orleães... fernando couto foi uma das vozes dissonantes "chamaram-lhe katrina porquê? porque fodeu não sei quantos americanos? para isso tinham-lhe chamado paula porque ela no estágio da selecção bem que nos fo..." depois levou um biqueiro na canela do vitor baía que acrescentou "...bem que nos fo...mentou a vontade de vencer... a paula era a psicóloga da equipa, não era ó palhaço?", "sim sim, a puta era psicóloga é isso... boa vitor, boa..." finalizou o couto... quem achou aquela conversa toda muito estranha foi o tino de rans que expressou a sua opinião com um enorme grunhido

a mãe de george w bush disse para o mundo ouvir que muitos dos desalojados que tudo perderam e que se encontram amontoados nos centros de ajuda humanitária estão agora em melhores condições de vida do que antes do katrina, isto por serem indivíduos socialmente desfavorecidos (isto é verdade)... o invisual presidente da comissão dos desalojados referiu após longa conversa com a senhora "foi um enorme prazer falar consigo, hoje nem parecia a senhora, estava expedita, agradável e invulgarmente inteligente" segundos após o porteiro anunciou a chegada da senhora bush e afastou o invisual do papagaio...

mais recentemente chegou às terras do tio sam um outro furacão, o rita... mas relativamente ao seu antecessor katrina é pequenito e fracote... é no fundo o marques mendes dos furacões, a única diferença é que o furacão tem mais auto-estima do que o diminuto presidente do psd... tem contudo menos força do que a odete santos que no braço de ferro bateu o furacão em três partidas pelos parciais de 6-3, 4-6 e 7-6 respectivamente, o furacão saiu da sala piurço e foi devastar países carenciados para se vingar...

o grande problema dos furacões é que são um monte de miudos mimados que nunca arrumam as coisas... podem sim senhor brincar com os edifícios, com os camiões tir, com o sexo de um ou outro africano ou com o nariz do cavaco silva mas pelo menos arrumem tudo antes de irem jantar, mas não senhor, a mãe furacona chama os furacões para comer e eles deixam tudo espalhado ou quando arrumam é de tal forma à pressa que no outro dia trocaram a pila de um africano com o nariz do cavaco silva o que foi um enorme berbicacho para o senhor aníbal que apareceu nas fotos de família com 25 centímetros de pénis negro no lugar do nariz... além disso os furacões deixam os prédios todos amontoados e nem separam as casas dos brancos, pretos, brazucas, chinocas, monhés e ciganos... da última vez que se juntou esta gente toda surgiram os actuais habitantes da costa da caparica, pretos de olhos em bico com sotaque brasileiro que vendem flores com o revólver no bolso... é por isso que devia haver ecopontos para furacões, cada um com a cor da respectiva raça... o dos brasileiros por seu lado distinguia-se pelos buracos de bala e pelo depositório de catanas, o dos monhés por ter um canteiro com flores e o dos ciganos por já não lá estar

ora então um grande bem haja


publicado por Insolente às 15:24
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
|

Quinta-feira, 15 de Setembro de 2005
o sorriso de cocó
limpar o rabo... queira o leitor saber que se vai lembrar de mim da próxima vez que limpar a peidola depois de um belo cocó, isto apenas porque está a ler esta frase... espero que ponha um largo sorriso quando se lembrar de mim enquanto arrepia o rabiosque porque eu não gosto nada que façam má cara por minha causa... vá um grande sorriso de cocó nesses lábios...

não há certamente nada mais deprimente no dia-a-dia de uma pessoa do que limpar o rabo após efectuar a consequente cagada e olhar para o papel bem carregadinho de merda... passar o papel pelas nossas saídas e ver se veio muito cocó agarrado é talvez das situações mais degradantes que se pode experienciar, se se confirmar, voltamos passar o papel pelas vias evacuatórias e ver novamente a quantidade de cocó expelida e assim sucessivamente até que a repetição deste processo culmine com uma passagem do papel pelo rêgo incólume onde este sobreviva à situação com a sua cor de origem intacta... é ou não é deprimente? no fundo pensa-se sempre o mesmo ao efectuar o acto “ah mas tanto cocó que veio agarrado, vou passar outra vez... xi ainda tenho uma grande quantidade de cocó, vou então repetir... ui tanto cocó, assim não, vá outra vez... mau maria, ó pra este borrão, não pode ser... caramba mais cocó...” e por aí fora

surgir-lhe-ei à lembrança certamente quando o leitor estiver no pico da força do empurrão ao cocó... quando o leitor estiver vermelho e redondo de tanta força fazer irá lembrar-se que eu previ esse momento... então ponha nos lábios o sorriso de cocó...

não consigo deixar de pensar que estou a ficar obcecado com esta questão do cocó e da sua deprimência... ainda no outro dia liguei para o programa da sic mulher “elas em marte” e disse “o meu cocó é tão feio, ai como é feio o meu cocó”... ainda por cima inspirei o cantor beto que estava no programa e que passados dois dias lançou um novo album de originais... no dia seguinte vi um debate no canal panda onde o egas e o becas discutiam e o becas disse “o homem é o pior dos animais porque faz mal a si mesmo e á natureza” e o egas respondeu “sim, é ver o michael jackson”... e isso deu-me que pensar... ao ouvir que o homem se destrói a si e à natureza não pensei propriamente na destruição selvagem da floresta amazónica ou em imagens de campos de concentração nazi, nem mesmo no aumento do buraco da camada do ozono e a não ratificação do tratado de quito por parte do “excelso” presidente norte-americano... eu levei antes a coisa para o cocó e imaginei desde logo a forma cruel como o meu organismo conseguiu transformar um celestial arroz de pato num borrão acastanhado de dimensões e formas dúbias que é no fundo uma poia...

e será certamente num daqueles cocós à pressa em que se chega ao destino já a tropeçar nas calças que o leitor se lembrará do Insolente... e depois do orgásmico “ahhhhh” não se esqueça de colocar o sorriso de cocó nos lábios

lembro-me como se tivesse sido ontem... ontem não, também não me lembro assim tão bem, lembro-me como se tivesse sido à coisa de uma semana, dez dia vá lá... de pegar num cocó, elevá-lo à altura do meu olhar e gritar muito alto “porquêêêêêêê...” e chorar muito... era um arroz de pato tão belo, porque é que eu tive de fazer aquilo? digam-me porquê... eu tenho de saber, serei um animal?... transformei um arrozinho lindo numa mistela de vários tons de castanho com um cheiro impossivel de descrever... eu que sou um amante das coisas belas da vida fiquei contudo feliz ao encontrar um pequeno osso de pato intacto no meio do aglomerado malcheiroso e pensar de forma quase poética “ah cabrão do osso atão fostes tu que me arrebentastes a nalga toda néi? deves de pensar que não dói, deves...” depois fui mergulhar as bordas em álcool e chorar...

sinto que devo uma explicação acerca do sorriso de cocó... aquele esgar de dor que surge no auge da expulsão do cocó que obriga ao afastamento e extensão dos lábios é um sorriso de cocó... também acontece por vezes durante a sensação de alívio consequente à cagada que põe qualquer gajo com um sorriso idiota, este último caso é extensível também às urinadelas e dá pelo nome de sorriso de xixi... por isso não se esqueçam, da próxima vez que sentarem o cagueiro na poltrona de porcelana... eu vou lá estar

ora então um grande bem haja


publicado por Insolente às 00:02
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|

Terça-feira, 6 de Setembro de 2005
festivais de verão e avante
estive durante este verão largos dias sem tomar banho não necessariamente para poupar água porque só piscinas tenho eu três, todas elas andam com problemas na canalização e perdem muita água, alem disso os bombeiros queriam lá abastecer os helicópteros e eu como é natural não deixei para ajudar a poupar o precioso líquido... estive sem tomar banho porque queria ir aos festivais de verão e para isso tinha de me ambientar à coisa, assim que as carraças começaram as construir diques de cotão e viadutos com as suas próprias fezes no meu antebraço senti que estava pronto para embarcar nesta aventura, infelizmente ao chegar ao festival do sodueste todos os organismos vivos que em mim habitavam fugiram para o cabelo do ben harper deixando a minha pele a cheirar a sanex com extracto de papoilas holandesas ou coisa que o valha...

fui então expulso do festival por estar a impestar o ambiente de borboletas e rosas amarelas que brotavam à minha passagem e fui apenas aceite na festa do avante ou como lhe chamam os habitantes da atalaia, convenção nacional de sósias do che guevara e cerveja do minipreço... entrei apenas porque apanhei à entrada o senhor firmino que trabalha no aterro sanitário e abracei-me a ele até cheirar minimamente mal, não pude ficar a cheirar tão mal quanto desejava porque estive a poucos segundos de ultrapassar o quoficiente de paneleiragem com tal abraço, soube que o limite estava próximo quando às tantas apareceu um senhor da sic a perguntar se queria ser o responsável pela secção de miminhos e carícias do novo programa da estação “esquadrão g”

quem eu vi no avante a curtir o concerto da brigada vitor jara foi o hitler (que é sabido ser metalúrgico no feijó) que me confidenciou amargurado “estes gajos sim sabem criar o medo e a chacina... onde é que eu falhei? onde é que eu falhei?... maldito sejas janita salomé”... foi também visto por lá o tino de rans que foi apanhado quando tentava roubar a máscara do vocalista dos blasted mechanism e defendeu-se afirmando “eu preciso mesmo de tapar a minha cara... eu não sou feio, eu sou “especial””... tino daqui fala um amigo que te quer bem (mais ou menos vá), evita viver... elimina progressivamente os movimentos labiais e posteriormente os mecanismos físicos, depois abandona o nosso sistema solar mas atenção tino... não digas a ninguém... shiu... acredito que se um extraterrestre abordasse o nosso planeta e travasse conhecimento com o tino de rans, regressava convicto de que não existe por cá vida inteligente afinal de contas

no discurso habitual jerónimo de sousa falou bonito “no meu tempo é que era, as moças usavam aqueles corpetes que faziam sobressair os seus seios e chegavam formosas nas carroças lá ao palácio... por outro lado não tomávamos banho e tinhamos muitos problemas ao nivel do almorróidal”... depois apareceu uma bengala que o puxou pelo pescoço para fora do palco

o bloco de esquerda pensou em criar um festival próprio para o partido no qual todos os desenquadrados sociais poderiam entrar de borla ou mediante a entrega de um estupefaciente como donativo à causa partidária... nesse colectivo estão incluídos todos os alcoólicos, seropositivos, toxicodependentes, deficientes físicos e mentais, o tino de rans, as pessoas feias, o tino de rans, o toni vidigal, o manuel vilarinho, os elementos da brigada vitor jara, os elementos da brigada de trânsito da gnr, o nuno markl e todos os praticantes de badminton... se porventura trouxerem consigo um produto fumável ilícito para alem de não serem expulsos como seria tradicional habilitam-se ainda a ganhar um bongo, uma noite de convívio com francisco louçã e fernando rosas com ganzas e vinho tinto de pacote à descrição, um free pass para todas as casas de chuto do país, um álbum dos kussundulola e um piolho

os festivais de verão são os únicos acontecimentos do país onde se vê gente mais mal vestida do que os turistas britânicos no algarve, esta afirmação foi imediatamente desmentida pela comunidade daltónica portuguesa

ora então um grande bem haja


publicado por Insolente às 19:41
link do post | comentar | ver comentários (25) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Estou de volta... noutro ...

FIM

o oceano índico tem a man...

terminou o caso mateus, a...

luta de boxers

o tuga é algo otário

jorge coroado, mestre da ...

mundial da prostituição

as crianças e os mosquito...

o código da mariquice

arquivos

Setembro 2007

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds